O que as empresas devem considerar ao migrar para a nuvem?

Por Gustavo Netto

De acordo com um recente estudo da Equinix, que considerou a opinião de 2.600 tomadores de decisão de TI nas Américas, Ásia-Pacífico e EMEA, o número de empresas globais que planejam migrar as aplicações de negócios para a nuvem saltou de 15% em 2020, para 37% em 2021. No Brasil, esse percentual foi ainda maior, 54% contra 27%. O dado reforça a tendência imposta pela pandemia de incrementar os investimentos em digitalização para as organizações se manterem competitivas no mercado. Nesse sentido, se não é segredo que a nuvem garante flexibilidade, segurança e baixo custo, o que as empresas devem considerar ao migrar para a nuvem?

As empresas costumam identificar o momento de realizar a migração para a nuvem a partir do seu objetivo de negócio. Se essa meta estiver atrelada a manter um ambiente sem falhas, escalável e com acesso em qualquer lugar, a nuvem se faz necessária. Outro ponto crítico está relacionado à segurança, que vem sendo cada vez mais priorizada dentro das companhias. Segundo uma pesquisa da PwC, 83% dos líderes de organizações empresariais no Brasil pretendem aumentar seus gastos com cibersegurança em 2022.

O fato é que, manter um alto nível de proteção de dados sem estar na nuvem, torna o custo muito elevado. Nesse caso, para garantir a segurança, é imperativo investir em máquinas, equipamentos e infraestrutura. Ou, investir em outsourcing, processo em que uma companhia contrata outra para zelar pelo sistema ou servidor. Por outro lado, ao investir na migração para a cloud, é possível garantir escalabilidade no uso dos serviços, disponibilidade em todos os momentos, além de reduzir significativamente os custos com infraestrutura interna.

Migrar para a nuvem em 5 passos

O primeiro passo ao pensar em migrar para a nuvem é escolher o modelo mais adequado para a sua necessidade, uma vez que o mercado disponibiliza opções de nuvem híbrida, pública e privada. Com esta questão definida, é preciso realizar um mapeamento de sistemas e de correlação entre eles. O terceiro passo é fazer um teste de transferência dos dados para nuvem, mas mantendo o ambiente anterior rodando. Depois dos testes, a quarta etapa consiste na migração do sistema para nuvem por completo. Por fim, no quinto passo, é o momento de realizar novos testes e depois a produção.

Plataforma Cloud IBM: garantia de flexibilidade, segurança e baixo custo

A plataforma Cloud IBM oferece alta compatibilidade a fim de colaborar para a renovação tecnológica das empresas, uma vez que os recursos podem ser utilizados em qualquer lugar do mundo, por meio do acesso à internet.

A tecnologia suporta hoje toda a infraestrutura da Digisystem. Desta forma, é possível construir um ambiente capaz de criar redundâncias em todas as infraestruturas, removendo pontos únicos de falha e implementando soluções de segurança da informação.

Com a hospedagem na Cloud IBM, a sua empresa ganha performance, reduz os custos de licenciamento, cria um ambiente com maiores redundâncias e mais flexibilidade. Quer saber como a Digisystem pode te ajudar nesse processo? Acesse aqui e entre em contato com os nossos especialistas.

Gustavo Netto é Diretor de Vendas da Digisystem, empresa 100% brasileira com 30 anos de experiência em serviços especializados em TI.

Compartilhe